A importância e os impactos da relação entre Direito e tecnologia

imagem-leonardocupelo5

Como relacionar Direito e tecnologia? É uma pergunta pertinente, afinal quando falamos a palavra “Direito” logo remetemos um pensamento de algo clássico, com matrizes mais tradicionais. Por outro lado, a palavra “tecnologia” leva uma ideia de modernidade, avanços, futuro.

O Direito, como ciência jurídica, nasceu de uma forma já ultrapassada, no sentido de que sempre resolveu anseios que a sociedade já vivenciava. Ou seja, não há como apresentar uma solução de uma situação futura. Entretanto, com a ajuda de novas tecnologias criadas ao longo dos anos, aos poucos conseguiu se modernizar, criar novas áreas de trabalho e prestar ao jurisdicionado uma melhor solução aos casos em litígio.

E é sobre isso que vou falar no texto de hoje! Afinal, são inúmeras as possibilidades criadas a partir da união entre Direito e tecnologia. 😉

Direito e tecnologia: união que melhora a atividade jurídica

Embora em passos lentos, temos que admitir que aos poucos Direito e tecnologia estão cada vez mais próximos. Essa união já auxilia as atividades jurídicas de qualquer operador do Direito, sejam eles advogados, juízes, promotores, delegados, etc.

Há pouco mais de 30 anos, até mesmo tecnologias comuns para nós, como um computador ou internet, eram de difícil acesso. Eram raras as oportunidades para que um cidadão de classe média pudesse aproveitar seu uso. Todavia, o desenvolvimento aprimorado possibilita hoje que quase qualquer pessoa usufrua disso.

E permite também a união entre Direito e tecnologia, como nos exemplos a seguir:

1. Processos eletrônicos

Evoluindo um pouco mais, no Poder Judiciário principalmente, saímos da era de processos físicos, onde eram impressas milhares de folhas para cada petição a ser feita. Ingressamos na fase do processo judicial eletrônico, regulado pela Lei nº 11.419, de 19 de dezembro de 2006.

Agora, é possível acessar, consultar e até peticionar de qualquer lugar do País. Não é mais necessário ir até o Fórum com duas vias impressas da petição, gerando economia de tempo e sustentabilidade.

2. Buscas de informações

Além disso, outras tecnologias também automatizam os trabalhos. Como por exemplo os sistemas Bacenjud, Renajud, Infoseg e Infojud. Todos conveniados ao Poder Judiciário para auxiliar na busca de informações bancárias, propriedade de veículos e/ou informações na Receita Federal sobre determinada pessoa.

3. Uso de smartphones

Outros avanços da união entre Direito e tecnologia que também facilitam nossas rotinas é o uso cada vez mais frequente de aplicativos nos smartphones. Sendo um belo exemplo o Whatsapp, amplamente conhecido pelo público. Para se ter uma ideia, o recurso já foi utilizado até mesmo para realizações de audiência à distância, com uma das partes residindo fora do Brasil.

4. Uso de softwares jurídicos

Noutro viés, para questões mais gerenciais e administrativas dentro de um escritório de Advocacia, por exemplo, porque não citarmos as agendas virtuais ou os softwares jurídicos. São ferramentas que auxiliam nas tarefas do profissional, seja no controle de processos e prazos, reunião, gestão financeira ou de tarefas do dia a dia.

Para ter acesso a Notícia no site de origem clique no link a seguir: https://www.aurum.com.br/blog/direito-e-tecnologia/

× Fale Conosco